Um taxista de 51 anos foi preso por estupro de vulnerável em Pedro Canário, região Norte do Estado. De acordo com a Polícia Militar (PM), a mãe de uma criança de 7 anos de idade compareceu ao Batalhão da PM, na noite de quarta-feira (24), por volta das 23h, alegando que seu filho havia sido estuprado.

Para os militares, a mãe informou que sempre deixava o menino na casa de uma amiga para ir trabalhar. Disse ainda que pegou o menino e o levou para casa. Na hora de dar banho na criança, percebeu que ela apresentava sangramento nas partes íntimas.

Ao perguntar ao filho o que havia acontecido, o menor afirmou que um taxista o teria empurrado para dentro de um táxi, tirado sua calça e abusado dele. À reportagem, a polícia não detalhou em que local o estupro teria ocorrido.

AMEAÇAS

A criança contou que o taxista o teria ameaçado dizendo que se ele contasse para alguém o que havia acontecido, iria matá-lo junto com a mãe.

Os militares perguntaram ao garoto as características do taxista, e o menor informou que se tratava de um homem baixo que usava boné.

Os policiais apresentaram fotos de vários taxistas, e o menor foi categórico em reconhecer e afirmar que se tratava do homem de 51 anos, segundo informações da polícia.

Uma conselheira tutelar de plantão foi chamada para acompanhar a mãe e a criança durante a ocorrência que seguiu pela madrugada.

PRISÃO 

O taxista foi localizado pelos militares. Ele informou que reside em Pedro Canário há 50 anos e negou que tivesse abusado da criança.

As partes envolvidas foram encaminhadas para a Delegacia de São Mateus, que recebe as ocorrências do plantão na região.

A criança foi encaminhada para o Serviço Médico Legal de Linhares para fazer exames.

A Polícia Civil informou que o taxista foi autuado em flagrante por estupro de vulnerável e foi encaminhado para o presídio de Xuri, em Vila Velha.

Deixe sua opinião: